Home >> Cotidiano >> Rio Ônibus vai recorrer de decisão que reduz tarifas em R$ 0,20

Rio Ônibus vai recorrer de decisão que reduz tarifas em R$ 0,20

Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro (Rio Ônibus) vai recorrer na segunda-feira (13) da decisão da juíza Luciana Losada Lopes, da 13ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), que determinou ontem (9) a redução de R$ 0,20, na tarifa dos ônibus municipais.

Para a juíza, o decreto que autorizava o aumento da tarifa é abusivo e, por isso, não cabe a cobrança. “Defiro a tutela de urgência para determinar a suspensão imediata dos efeitos do Decreto Municipal nº 41.190/2015 com a exclusão da estrutura tarifária do acréscimo de R$ 0,20  ao reajuste contratual autorizado a partir de 1º de janeiro de 2016.”

Em nota, o Rio Ônibus diz que o setor já enfrenta a negativa da prefeitura em reajustar a tarifa, em janeiro, o que, para o Rio Ônibus, não cumpre com o contrato de concessão. Além disso, o sindicato chama a atenção para a redução que havia ocorrido, anteriormente, no mesmo patamar. Em agosto, outra decisão da justiça já tinha reduzido a tarifa de R$ 3,80 para R$ 3,60. Naquele dia, foi uma decisão da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), só que estava baseada no Decreto Municipal nº 39.707/14, que autorizava um valor adicional de R$ 0,20 no reajuste.

A nota do sindicato diz também que o sistema de ônibus do município, que emprega 40 mil rodoviários, “está em colapso, como consequência do desequilíbrio econômico-financeiro do contrato”. Segundo o sindicato, a decisão anunciada nesta quinta-feira pela juíza terá consequências desastrosas. “Os principais prejudicados, mais uma vez, serão os passageiros.”

 

 

Com informações da Agência Brasil.

Sobre Notícias ao Minuto

Notícias ao Minuto

Veja Também

Dois homens são encontrados mortos em São Gonçalo

Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) investigam a morte ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.